Dom Milton: “Toda vida é sempre uma demonstração do amor de Deus”

14/09/2021

A cada ano, na primeira semana de outubro (1º a 7/10), a Igreja do Brasil comemora a Semana da Vida, que a conclui com a celebração do Dia do nascituro, no dia 8 de Outubro.
Neste ano, o tema da Semana da Vida é “Família, santuário da vida”, inspirado na Encíclica “Evangelium Vitae” (O Evangelho da Vida) de São João Paulo II, publicada em 1995.
São João Paulo II proclama com alto e bom tom que a família “é verdadeiramente o santuário da vida (…), o lugar onde a vida, dom de Deus, pode ser convenientemente acolhida e protegida contra os múltiplos ataques a que está exposta, e pode desenvolver-se segundo as exigências de um crescimento humano autêntico. Por isso, o papel da família é determinante e insubstituível na construção da cultura da vida” (EV 92).
Na Exortação Apostólica “Amoris Laetitia” (A Alegria do Amor), o Papa Francisco dedica um capítulo para falar do amor que se torna fecundo (capítulo 5º), partindo do fato de que a família não é apenas o local onde se gera os filhos, mas o lugar em que se acolhe a vida que chega como um presente de Deus.
Toda vida é sempre uma demonstração do amor de Deus, a revelação da gratuidade do amor que sempre surpreende! Daí a necessidade de que todo filho seja amado antes mesmo que nasça; pois desde a fecundação, diz o Papa, cada vida é amada por Deus, é querida por Ele, sem necessidade de que mereça este amor.
Na realidade, lamentavelmente, ocorre que muitas vidas são rejeitadas, abandonadas e eliminadas antes de mesmo de vir à luz. É a triste realidade do aborto, que hoje em muitas nações tem sido regularizado, com o pretexto de ser direito da mulher sobre o próprio corpo, ou com a desculpa de evitar o número de mulheres mortas devido à realização de abortos clandestinos.
Não só no que se refere ao aborto, mas também ao fato de que muitos nascimentos são indesejados, Francisco diz que “quando se trata de crianças que vêm ao mundo, nenhum sacrifício dos adultos será julgado demasiado oneroso ou grande, contanto que se evite que uma criança chegue a pensar que é um erro, que não vale nada e que está abandonada aos infortúnios da vida e à prepotência dos homens” (AL 166).

Daí a beleza da gravidez, que embora seja um período difícil, é um tempo maravilhoso não só na vida da mãe, mas de toda família. Na verdade, cada gravidez é momento em que ocorre o milagre de uma nova vida. Cada criança é sempre a garantia de esperança para o mundo. Quando pensamos nos grandes personagens da história, nós nos damos conta de que caso a gravidez em que eles foram gestados fosse interrompida, o mundo certamente estaria mais pobre, haveria desperdiçado gênios que souberam revolucionar a história e elevar a dignidade do ser humano.
O que teria sido se Maria, a Mãe de Deus, por medo dos riscos da sua gravidez decidisse interrompê-la? Evidentemente que tratando-se da Imaculada Mãe do Senhor esta hipótese é plenamente descartada; mas, numa visão humana, alguém poderia imaginar que talvez este fosse o melhor caminho, diante das reações que poderia suscitar, como no caso de José, e da sua pequena aldeia de Nazaré.
O Papa Francisco diz que “cada criança, que se forma dentro de sua mãe, é um projeto eterno de Deus Pai e do seu amor eterno: “Antes de te haver formado no ventre materno, Eu já te conhecia; antes que saísses do seio de tua mãe, Eu te consagrei” (Jr 1,5). Cada criança está no coração de Deus desde sempre e, no momento em que é concebida, realiza-se o sonho eterno do Criador. Pensemos quanto vale o embrião, desde que é concebido! É preciso contemplá-lo com este olhar amoroso do Pai, que vê para além de toda a aparência” (AL 168).
O exemplo de Santa Gianna Beretta Molla, canonizada por São João Paulo II em 16 de maio de 2004, que deu a vida por sua filha, preferindo morrer a praticar um aborto, nos ajude a compreender que toda vida é um dom de Deus; e que nada justifica sacrificar uma vida gestada no seio materno.
Celebremos com entusiasmo a Semana da Vida em nossas comunidades, reconhecendo e proclamando que toda família é um santuário da vida!

Dom Milton Kenan Jr.

Bispo da Diocese de Barretos